.

sinregas.pr@gmail.com
+55 (41) 3356-0015

Associar »

Preço do gás de cozinha tem variação de até R$ 27 na região Oeste

4 de novembro de 2015, às 16:42

Cascavel registra o valor mais caro da região, chegando a R$ 68 o botijão

Foz do Iguaçu – O preço do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), ou o gás de cozinha, praticado em algumas das principais cidades do Oeste aponta uma variação expressiva, resultado de uma série de aumentos de matéria-prima e de impostos.

Comparados os valores médios do botijão de 13 quilos, a variação é de até R$ 27, com preços mínimos de R$ 41 em Foz do Iguaçu e máximos de R$ 68 em Cascavel, diferença de 40%. Os dados são referentes à pesquisa semanal de mercado da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Biocombustíveis e Gás Natural).

Esse desequilíbrio na tabela de preços estipulados pelas revendas é explicado pelo presidente do Sinregas (Sindicato dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado do Paraná), José Luiz Rocha.

“Geralmente, os valores mais baixos são aplicados onde há uma concorrência maior, o que é comum nesse segmento. A quantidade de revendas em uma cidade determina muito a variação de preços e isso reflete no bolso do consumidor”, relata Rocha.
Os valores ante a variação ocorrida em um período de um ano exemplificam ainda mais essas oscilações. Isso porque na última semana de outubro do ano passado a média na região era de R$ 44,65. Hoje, o custo do botijão de 13 quilos é R$ 13,97 a mais, chegando a R$ 58,62, um salto de 31%. Em 2014, Foz do Iguaçu também possuía os menores preços, vendendo a unidade por até R$ 34.

Para se ter uma ideia, o preço médio atual na fronteira, de R$ 44,29, se assemelha ao mais caro cobrado no ano passado, de R$ 44,34. Toledo também comercializava a unidade a valores mais atrativos, variando de R$ 38 a R$ 45.

“Realmente, há uma diferença, pois tudo subiu, inclusive o petróleo”, diz a proprietária de uma revenda em Assis Chateaubriand, Andreia Lizoti, que em seu estabelecimento vende o GLP a R$ 60.
Segundo o presidente do Sinregas, a média de venda do GLP no Paraná é de R$ 65.

“Mas, já que os preços não são tabelados e cada revenda os determina, as oscilações tendem a ocorrer”, explica.
Aproximadamente quatro mil revendas estão espalhadas em todo o Estado.

Segundo mais caro do Paraná

Cascavel é novamente o município do Oeste com os valores mais altos nos produtos derivados do petróleo. Não bastasse ter o litro mais caro de gasolina do Paraná, de R$ 3,65, a cidade exerce ainda o segundo maior valor praticado de GLP, perdendo apenas para Maringá, no Noroeste do Estado, que atingiu a marca de R$ 66,10. Por aqui, a média nas revendas chegou a R$ 65,70, superando a regional.

Fonte: O Paraná  (Com informações de Marina Kessler)


Comentários